Sem acesso as redes sociais WhatsApp, Facebook e Instagram, devido a uma pane que durou cerca de seis horas, uma média de 2,8 bilhões de pessoas foram atingidas.

No início da última semana, várias partes do mundo presenciaram uma situação atípica, a instabilidade e interrupção das redes WhatsApp, Facebook, Messenger e Instagram, tanto na versão web (para computadores) quanto nos aplicativos para celular. Após horas sem acesso às redes pertencentes à empresa Facebook, de Mark Zuckerberg, a plataforma Downdetector, que fornece aos usuários informações em tempo real sobre o status de sites e serviços, notificou que essa foi a maior falha já registrada, com 10,6 milhões de relatos de problemas em todo o mundo. A última vez que o Facebook teve uma interrupção semelhante foi em 2019. 

Ainda de acordo com a Downdetector, no Brasil, a interrupção aconteceu por volta de 12h30 (horário de Brasília), período correspondente ao de outras regiões metropolitanas globais, como Washington (EUA) e Paris (França). No Twitter (rede social não pertencente ao grupo), segundo um levantamento encomendado pela CNN, em menos de seis horas, cerca de 2,5 milhões de brasileiros mencionaram o nome do WhatsApp, repercutindo o assunto. 

Após cerca de seis horas fora do ar, por volta das 18h40 (horário de Brasília) Facebook, Instagram e Messenger voltaram a funcionar. Já o WhatsApp demorou um pouco mais até ter seus serviços normalizados, de modo que os usuários conseguiram enviar mensagens somente pouco antes das 20h.  

Prejuízos provocados pela falha das redes 

Mesmo após a retomada das redes sociais, ainda não se sabe o que motivou, de fato, essa pane. No entanto, diversos especialistas em segurança apontaram para um problema de Sistema de Nomes de Domínio, conhecido pela sigla em inglês DNS, como um possível causador. 

Diante da dependência do público aos serviços, as ações do Facebook caíram 4,89% na bolsa Nasdaq, levando a um prejuízo de US$ 6 bilhões ao patrimônio de Zuckerberg. Além do CEO da empresa, outros negócios também tiveram prejuízos durante o “apagão”, como no caso de empresas que utilizam as plataformas diariamente para anúncios, divulgações, vendas ou atendimento ao cliente, em especial aquelas que operam somente pela internet.  

Como agir diante de possíveis panes futuras? 

Uma vez que se torna cada dia mais imprescindível desenvolver uma presença digital, não há como negar que redes como o WhatsApp, Facebook ou Instagram são essenciais para qualquer negócio contemporâneo. No entanto, para se prevenir de futuras panes de sistema, como a que ocorreu na última semana, é importante que as empresas contem com meios alternativos de comunicação e vendas.  

Além disso, é fundamental manter dados informativos sobre a empresa sempre atualizados em sites de busca, como o Google, por exemplo. Assim, a comunicação com clientes ou possíveis leads será mais fácil.  

Vale reforçar, por fim, que, caso tenha acontecido algum ataque hacker durante a interrupção ou manutenção das redes sociais, as empresas prejudicadas, tendo provas do dano e conhecimento da origem do problema, podem acionar judicialmente o Facebook.

A Nextcode oferece soluções de prevenção a fraudes embarcadas em alta tecnologia para verificação de identidade com agilidade e precisão, análise 100% automatizada. Estamos apoiando as instituições em seus processos de validação cadastral, e acima de tudo, prezando pelo relacionamento com seus usuários, com o propósito de identificar o que é realmente genuíno. E o Onboarding Digital está em nosso DNA. Vem pro Time Nextcode!

Não deixe de conhecer nossas soluções

Luiz Penha

Luiz Penha

COO da Nextcode, grande vivência em infraestrutura de TI. Apaixonado por empreendedorismo e acredita que a segurança da informação é um dos grandes diferenciais das empresas.

Leave a Reply