Proteger-se de vulnerabilidades no sistema operacional ajuda a empresa a se prevenir de possíveis cibercrimes 

O termo “vulnerabilidade digital” tem se popularizado ano após ano. Apontada por uma fraqueza nos sistemas computacionais, que pode ser encontrada em componentes de software e hardware, essas vulnerabilidades permitem que hackers invadam e coloquem em risco as informações e dados dos usuários armazenados naquele ambiente. 

O crescimento dessas lacunas é explicado pela expansão no uso da tecnologia por meio de equipamentos como computadores, drones, tablets e smartphones. Deste modo, com o surgimento cada vez mais recorrente de novos equipamentos conectados à internet, surgem, também, tais problemas de segurança da informação.  

Entre os principais impactos causados pelas vulnerabilidades digitais, o aumento de fraudes e cibercrimes tem se destacado. Para se ter uma ideia, de acordo com o Indicador de Tentativas de Fraude da Serasa Experian, no primeiro semestre deste ano, o número de ataques fraudulentos contra brasileiros chegou a 1,9 milhão, correspondendo a um aumento de 15,6% em relação ao mesmo período de 2020. 

Diante deste contexto, para estabelecer um ambiente digital seguro, traçar estratégias que minimizem essas vulnerabilidades é essencial. É preciso identificar, sobretudo, quais são as principais vulnerabilidades para se prevenir! 

Tipos de vulnerabilidade 

Formada por dois elementos, a vulnerabilidade é composta pela possibilidade de o invasor acessar o ambiente digital e de poder explorá-lo. Isso significa que não basta apenas entrar no sistema, é necessário que ele utilize ferramentas e meios para vasculhar as falhas encontradas para, enfim, realizar o ataque. Entre os principais tipos de vulnerabilidade, vale destacar: 

  • Vulnerabilidade em redes: conectando múltiplos equipamentos, as redes compartilham diversas informações. Deste modo, uma rede aberta pode apresentar mais vulnerabilidade do que uma rede privada; 
  • Vulnerabilidade em sistemas operacionais: aparelhos de celulares, computadores e outros dispositivos podem apresentar falhas a serem exploradas pelos cibercriminosos. Para evitar essas panes, é importante contar com softwares e sistemas antivírus legais e registrados, mantendo uma rotina de atualização dessas ferramentas; 
  • Vulnerabilidade em softwares e aplicativos: assim como listado anteriormente, contar com sistemas seguros nos dispositivos é fundamental para evitar possíveis riscos à integridade dos dispositivos. É importante fugir de programas “crackeados”, aplicativos desconhecidos e sites suspeitos.  

Para finalizar, reforço a necessidade de contar com profissionais de TI especializados em segurança digital. É importante, sobretudo, estar sempre atento a todas as possíveis fontes de vulnerabilidade nos dispositivos, a fim de identificar e corrigir o sistema antes de ser vítima de ataques cibernéticos.  

E quando falamos de departamentos antifraude, falamos de Nextcode. Oferecemos soluções de prevenção a fraudes embarcadas em alta tecnologia para verificação de identidade com agilidade e precisão, análise 100% automatizada. Estamos apoiando as instituições em seus processos de validação cadastral, e acima de tudo, prezando pelo relacionamento com seus usuários, com o propósito de identificar o que é realmente genuíno. E o Onboarding Digital está em nosso DNA. Vem pro Time Nextcode!

Não deixe de conhecer nossas soluções

Luiz Penha

Luiz Penha

COO da Nextcode, grande vivência em infraestrutura de TI. Apaixonado por empreendedorismo e acredita que a segurança da informação é um dos grandes diferenciais das empresas.

Leave a Reply